Boas Novas – Evangelho verdadeiro

Posted on Posted in Sem categoria

boas novas

 

Os homens criaram um conceito de Deus que é distante do Pai que Cristo veio revelar. É um conceito construído pela tradição das frustrações e derrotas humanas. Os homens fogem da sua responsabilidade em lidar com os seus problemas e encontraram em Deus o bode expiatório perfeito. Se não conseguem vencer uma enfermidade, é porque Deus tem um propósito; se tomam uma decisão errada que à frente leva a algo desagradável, foi Deus para trazer alguma lição; se há morte e destruição, Deus é soberano e tudo contribuirá para o bem!

 

Deus faz com que todas as coisas contribuam para o bem dos que o amam (Romanos 8:28), porque Ele está presente, nas nossas más decisões, nas nossas fraquezas, nas nossas falhas. No meio do caos Ele consegue dar-nos a mão e consolar-nos. No entanto, a origem da falha, da desgraça, do caos, não está Nele. Deus não fez acontecer algo terrível para mostrar o seu amor! Deus é bom, melhor que os homens! Que homem partiria um braço do seu filho pequeno para lhe mostrar o seu amor?

 

Quando vamos deixar de culpar a Deus pelas nossas derrotas e incredulidade? Quando vamos deixar de atribuir a Deus as nossas quedas na batalha, porque não conseguimos vencer num desafio? Quando vamos assumir as nossas responsabilidades e acordar para a guerra espiritual que nos rodeia?

 

Somos soldados, não bebés de fralda! Estamos numa guerra que embora vencida, ainda necessita de lutar algumas batalhas. O mundo ainda jaz no maligno e precisa que ajudemos a tantos que caminham para o abismo. Urge que abramos os olhos aos cegos e os ouvidos aos surdos!

 

Jesus perguntou “Que queres que te faça?” (Marcos 10:51). Nunca ninguém ficou desiludido ou insatisfeito depois de se encontrar com Ele. Nunca alguém chegou doente, que não fosse curado. Nunca vi Cristo dizer a alguém que naquele caso era para um propósito divino. Que o sofrimento traria algo melhor… O Filho sempre mostrou a vontade do Pai! Não há um caso nos Evangelhos em que Jesus não tenha curado alguém que lhe pediu socorro. Apenas na sua terra natal, está escrito que não “podia fazer ali nenhum milagre, a não ser curar alguns poucos enfermos”, mas devido à incredulidade humana e não há sua vontade (Marcos 6:5-6).

 

O Evangelho de Jesus Cristo são boas novas. As más novas são outro Evangelho que não é o Dele! Ecoa ainda a sua Voz: “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” (João 10:10).

 

A sua bondade não é teórica. A sua bondade não é bipolar, enviando o mal e chamando-lhe bem. Deus é bom mesmo! É melhor que um pai humano. “Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem? (Mateus 7:9-11).

 

Que Evangelho é este que prega um Deus sádico? Que Evangelho é este que prega um Deus que tem prazer em “matar, roubar e destruir” para atingir os seus propósitos soberanos? Que Deus é este que me pede para continuar a sofrer quando Cristo sofreu a minha morte?

 

O Deus que me resgatou das trevas tem chorado comigo nas minhas lutas, tem rido comigo nas minhas vitórias! Prometeu que nunca me deixaria e que no seu Nome expulsaria demónios, ordenaria aos montes e eles se lançariam no mar, curaria os enfermos e pescaria homens. Amo este Deus bom, amor, misericórdia. Ele é Senhor e poderia ser diferente, mas o Deus que eu conheço é absolutamente BOM!